quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

MAÇONARIA IGUALITÁRIA E PARA TODOS




Mas, voltemos ao período das Lojas de Adoção. Depois de algum tempo da convivência das lojas da tradicional maçonaria masculina, tutelando lojas femininas (as lojas de adoção), começou-se um tipo de questionamento. O mesmo questionamento que indaga da legitimidade da reserva exclusiva para o homem de certas atividades sociais, culturais, profissionais e religiosas, com a exclusão da mulher.

Assim, perguntava-se e ainda se pergunta, se nos Estados de direito, de formação democrática, que reconhece à mulher os mesmos direitos e obrigações, na sociedade, o que impediria das mulheres, sozinhas ou em conjunto com os homens, fundar e manter as suas próprias instituições maçônicas? Se não são admitidas naquelas, masculinas, por que, então, não terem as suas próprias lojas?

Não se pode esquecer que, diante da legislação democrática, as associações ou são comerciais ou são civis.

E o que são, diante da legislação nacional dos países ocidentais, as Grandes Lojas ou os Grandes Orientes ¾ na verdade, federações ou confederações de Lojas ¾ , e essas próprias Lojas, singularmente, senão sociedades civis?

E, nas regras, para a formação de uma sociedade civil, não existe nenhuma restrição contra a participação da mulher nem nenhuma condição de que, para formá-la, seja preciso o reconhecimento, o aval de qualquer outra instituição similar, previamente existente. Basta que o objeto, os fins para que se destina a sociedade, seja legítimo.

E qual é o objeto da maçonaria? Dentre as várias definições que lhe são reservadas ¾ na verdade, são várias formas de dizer sempre a mesma coisa ¾ , a maçonaria é, em essência, uma escola de moral e cultura, enfim, uma sociedade de pensamento. Não pode sequer ser considerada como filosofia ou religião, estrito senso. O máximo que faz é tratar de temas filosóficos e de temas religiosos, mas sem no entanto fazer filosofia ou religião.

De modo que as questões polarizaram-se e, hoje, a Maçonaria é entendida como um contexto tradicional, iniciático, esotérico e ético-cultural, passível de exercício tanto por homens como por mulheres, através de uma ou várias Obediências, de modo federado, confederado ou independente, desde que satisfeitos os requisitos legais civis de associação.

As questões de regularidade e irregularidade, de reconhecimento ou não, são particularmente pertinentes, apenas, entre elas.

Como resultado de toda essa celeuma, o panorama da Franco-maçonaria, no mundo, hoje, é o seguinte:

– Obediências e Lojas exclusivamente masculinas;
– Obediências e Lojas exclusivamente femininas e
– Obediências e Lojas masculinas, femininas e mistas.



Nenhum comentário:

Postar um comentário